O Projeto

Foto: Luiz Gonzaga

Foto: Luiz Gonzaga

A tradução de Impressões Humanas pode ser definida em uma única palavra: sentimentalidades. Essa linguagem universal do ser humano, que os aproxima pelas afinidades e identificações. Cada ser humano que passa por nós deixa suas marcas, invisíveis, algo que não conseguimos definir em palavras, mas sim em nossos sentidos.
A proposta é simples – um canal de histórias reais de forma poética. Revelando personagens inspiradores e humanos que impressionam com seu alto poder de superação e suas criações, deixando suas impressões e criando novas culturas ao seu redor.
O projeto nasce de vivências na área da comunicação, observações e fatos que comprovam a força do espírito humano e seu poder de transformação. Outro fator que desencadeou a ideia de se montar esse canal é a preocupação com a evolução da tecnologia, a globalização e a perda das nossas vivências reais, da cultura dos povos e suas tradições. O objetivo é esclarecer que cada pessoa é única e tem muitas vivências a compartilhar. Essa troca de experiência é que movimenta e forja o desenvolvimento humano.
“Nossa principal missão é usar a internet para despertar no leitor o desejo de olhar ao redor e perceber que ao seu lado existe um ser humano e que ele possui uma história ao mesmo tempo em que visa trazer à consciência o valor de cada ação humanitária e como, mesmo que em passos lentos, começa ter um impacto positivo no mundo.”- comenta Márcia Nicolau, jornalista, escritora e idealizadora do projeto.A primeira história será dividida em cinco capítulos, inaugurando uma nova linha editorial na internet: a minissérie literária. “Sabemos que na internet é tudo muito rápido e curto, um texto extenso dificilmente seria lido, então resolvemos dividir para que os leitores acompanhem a história, possam fazer um passeio imaginário e continuar a nos acompanhar.” – comenta Jomar F. Bellini, responsável pelo visual do site.
A escolha da poesia como madrinha na composição da linguagem visa abraçar o público de todas as idades. “Todo mundo gosta de história, desde a criança aos idosos e queríamos trabalhar uma linguagem simples que possa ser consumida com leveza por todos. Um doce literário, mas com conteúdo, informação.” – descreve Mariana Panazzolo, responsável pela linguagem e revisão dos textos.

“Não desejamos fazer simplesmente um perfil, mas sim contar uma história com todos os elementos que são necessários. Não dá para falar do que a gente não sente, não experimenta, por isso temos uma grande preocupação de sentar com o entrevistado, vivenciar com ele um pouco dessas experiências, conhecer seus hábitos e costumes para que realmente possamos reproduzir uma matéria viva, com emoção, com quem esteve realmente lá e viveu!  Sem esses elementos, cairemos nos mesmos moldes da rede de somente informar. Não!  Nosso desejo é fazer o leitor ler, imaginar e reproduzir com suas impressões. O que fazemos é dar elementos para essa viagem.” –  reforça Márcia Nicolau.

A expectativa é também ir formando cada capítulo da nossa história, com as impressões e comentários dos nossos leitores.